Curiosidades

Com a abertura dos portos nipônicos ao ocidente, o imperador japonês decretou crime de lesa-pátria ensinar Jiu-Jitsu no Japão, na tentativa de preservá-lo como cultura exclusiva do seu povo.

Porém, após a Primeira Guerra Mundial, houve uma grande imigração do povo japonês, e o Brasil acabou sendo o país que o Conde Maeda Koma - campeão japonês da época - escolheu para viver.

Maeda chegou ao Pará em meados de 1920, onde conheceu Gastão Gracie, um homem influente em Belém do Pará que o ajudou na nova cidade. Em gratidão ao amigo, o Conde Maeda Koma ensinou Jiu-Jitsu ao filho mais velho de Gastão, Carlos, que em pouco tempo já dominava a técnica e dava aulas.

Mas foi seu irmão, Hélio Gracie, que desenvolveu o Jiu-Jitsu a ponto do esporte ser hoje reconhecido como a forma mais perfeita de luta de todo o mundo. Hélio, com seus 63kg, venceu adversários com mais de 100kg, provando que a técnica vence a força.

Essa cultura, hoje reconhecidamente brasileira, faz com que exportemos nosso Jiu-Jitsu por todo o mundo, sendo o próprio Japão um grande consumidor de nossa arte.

A palavra Jiu-Jitsu significa “arte suave” devido a seu princípio de ceder para vencer, de usar o peso e a força de seu adversário contra ele mesmo e, ainda, de criar para cada técnica uma força de alavanca que lhe permita mover um oponente muito mais forte e pesado. O princípio nos orienta a fazer o uso mais eficiente possível de nossas energias físicas e mentais.

O Jiu-Jitsu nasceu há mais de 2.500 anos.

Foi criado por monges budistas, um povo nômade e franzino, que era frequentemente saqueado por outros povos. Impedidos de usar armas por conta de sua religiosidade, desenvolveram uma forma de defesa baseada no estudo dos movimentos dos animais, tendo como princípio a força de alavanca que permite que um indivíduo bem mais fraco vença um mais forte e pesado.

Logo esta forma de luta cruzou a Ásia e chegou ao Japão, onde se tornou a luta dos samurais - exímios guerreiros que tinham como função defender seus senhores, se preciso, com a vida.

Os samurais dominavam várias técnicas de combate como arco e flechas, facas e lanças, e tinham no Jiu-Jitsu sua luta corporal. Com a agressividade da época, o Jiu-Jitsu se destacou por mostrar que características como equilíbrio e flexibilidade eram capazes de vencer a força bruta.

A tradução de Jiu-Jitsu é arte suave, o que significa que os movimentos devem ser executados sem o uso da força física, permitindo que qualquer pessoa possa praticar e ter sucesso no aprendizado.

A eficiência já amplamente comprovada (através dos desafios entre artes marciais que se estenderam dos anos 1950 até a criação do MMA nos anos 90) traz ao praticante a certeza de que, caso ele necessite, não terá problemas em se defender.

No entanto, o dia-a-dia do treino vai muito além da arte marcial e da autoconfiança em se defender. O ambiente de companheirismo, permeado pela disciplina e pelo respeito, traz a nossos alunos aulas extremamente prazerosas e divertidas.

Nossa academia pratica a metodologia Alliance de ensino, em mais de 200 filiais espalhadas pelo mundo, e detém o maior número de título mundiais já conquistados (11x no masculino e 9x no feminino). Diferentes níveis de turmas fazem com que o aluno aproveite e entenda todas as técnicas da maneira ideal.

A Alliance é uma academia para todos, independente de idade ou conhecimento de Jiu-Jitsu. Venha fazer parte dessa família você também!

×